Mato Grosso

CGE e Seplag reúnem órgãos para implantação do Sigadoc

Publicados

em

image_pdfimage_print


Como medida do “Programa Simplifica MT”, estabelecido pelo governador Mauro Mendes no Decreto nº 512/2020, a Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) e a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) reuniram, nesta terça-feira (21/09), os secretários adjuntos sistêmicos do primeiro grupo de órgãos que implantarão o processo eletrônico por meio da utilização do Sistema Estadual de Produção e Gestão de Documentos Digitais (Sigadoc).

Nesta etapa do plano de implantação do Sigadoc, serão contemplados sete órgãos: Casa Civil, Seplag, Meio Ambiente (Sema), Segurança Pública (Sesp), Ciência Tecnologia e Inovação (Seciteci), Desenvolvimento Econômico (Sedec) e Infraestrutura e Logística (Sinfra).

Na reunião, o secretário-adjunto de Auditoria e Controle da CGE-MT, José Alves Pereira Filho, esclareceu que a estratégia de implantação do Sigadoc será bem simplificada, sem a necessidade de mapeamento de processos, integração com outros sistemas informatizados e criação de documentos específicos dentro do sistema.

“Neste momento, o que se busca é apenas a transição do processo físico para o processo eletrônico. Temos a convicção de que é um processo simples e que a ferramenta traz excelentes resultados para a gestão, como segurança, transparência, economia e sustentabilidade ambiental”, pontuou.

Leia Também:  Documentário sobre Mestre Bolinha estreia na próxima quarta-feira (27)

Neste mês de setembro, a CGE-MT passou a integrar a coordenação de implantação do Sigadoc em conjunto com a Seplag. A participação da Controladoria foi motivada pelo êxito do órgão no uso da ferramenta. Todas as áreas da CGE já estão integradas ao sistema oficial de documentos digitais.

“Com a parceria entre a CGE e a Seplag poderemos avançar muito na implantação do processo eletrônico e, com isso, melhorar a eficiência e gerar economia aos órgãos do Poder Executivo Estadual”, salientou o titular secretário de Estado de Planejamento e Gestão, Basílio Bezerra. 

Desde então, os auditores Aprígio Guilherme Miranda de Freitas e Paulo Farias Nazareth Netto, que representam a CGE na comissão coordenadora de implantação, têm explorado as funcionalidades do sistema e apresentado soluções para simplificar o uso do Sigadoc.

Dessa forma, na reunião desta terça-feira (21/09), foram apresentadas aos secretários-adjuntos diversas funcionalidades que tornam o sistema de fácil aplicação. Uma delas é a possibilidade de capturar documento de qualquer fonte e incorporá-lo ao Sigadoc com assinatura certificada no próprio sistema.

“É possível, por exemplo, capturar um termo de referência ou qualquer outro documento de uma aquisição, e os signatários (mais de um) assinarem de forma digital dentro do sistema”, exemplificou o auditor Aprígio Guilherme Miranda de Freitas, superintendente de Inteligência da CGE.

Leia Também:  Servidor só pode sair do órgão de origem após publicação da cessão no Diário Oficial

Outras facilidades da ferramenta são a tramitação de documentos em lote, assinatura de diversos arquivos de uma única vez, numeração automática dos processos e montagem de processos de aquisição, de empenho e de pagamento, com possibilidade de vínculo entre eles ou de subprocesso.

O plano de implantação do Sigadoc envolve apoio de infraestrutura de tecnologia da informação, disponibilização de modelos de documentos comuns a todos os órgãos estaduais, edição de normativas com os procedimentos para utilização do Sigadoc e capacitação dos usuários.

Leia mais sobre o assunto:

CGE reforça coordenação de implantação do Sigadoc nos órgãos estaduais

CGE passa a tramitar processos de Corregedoria somente pelo Sigadoc

CGE passa a receber processos e documentos somente pelo Sigadoc

CGE é o primeiro órgão a implantar produtos de auditoria e controle no Sigadoc

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

“Setor de base florestal apoia plenamente o programa Carbono Neutro MT “, afirma presidente do Cipem

Publicados

em

Por

image_pdfimage_print


O presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), Rafael Masson, afirma que o setor apoia a iniciativa do Estado de implementação do Programa Carbono Neutro MT, lançado nesta segunda-feira (25.10). A meta voluntária do Estado é neutralizar os gases do efeito estufa até 2035.

“O Estado está levando mais uma bandeira muito forte para o mundo e para o Brasil, e o setor apoia plenamente o programa. Somos da base florestal, com muito orgulho, temos mais de 4,7 milhões de hectares em manejo sustentável no estado”, disse Masson durante a cerimônia de lançamento.

Com o fortalecimento das metas ambientais do Programa Carbono Neutro MT, a projeção é alcançar 6 milhões de hectares de manejo susntentável até 2030. O manejo sustentável é a estração de ativos da floresta com o menor impacto anbiental, preservando a mata em pé. 

O Cipem foi uma das instituições que aderiram ao programa como apoiadores, e que farão campanhas para disseminar as metas e os resultados. Também assinaram a Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT), a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), a Associação dos Produtores de Soja  (Aprosoja-MT),  Associação Matogrossense dos Produtores de Algodão (AMPA), Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac), União Nacional do Etanol de Milho (UNEM),  e Ação Verde.

Leia Também:  Sábado (23): Mato Grosso registra 545.069 casos e 13.909 óbitos por Covid-19

O Cipem é a união de oito sindicatos patronais de Base Florestal, que tem o objetivo de organizar e fortalecer o setor. Incentiva a produtividade e o consumo consciente de madeira e seus subprodutos de forma sustentável, com respeito a legislação vigente e em harmonia com o meio ambiente.

Carbono Neutro MT

O Programa Carbono Neutro MT foi instituído pelo decreto 1.160/2021, com o objetivo de fortalecer 12 ações que contribuem para o desenvolvimento sustentável, gerando o equilíbrio entre as emissões e remoções de gases do efeito estufa.

As medidas elencadas como importantes para a descarbonização de MT são:  a manutenção do ativo florestal do estado, manejo florestal sustentável, regularização fundiária, melhorias na gestão de áreas protegidas, reflorestamentos comerciais, restauração de florestas, redução do risco de incêndios, manejo sustentável para a produção agropecuária, proteção de vegetação secundária em áreas de desmatamento legal, recuperação de pastagens, integração lavoura-pecuária-floresta, e produção e consumo de biocombustíveis.

As ações serão ajustadas e revisadas constantemente para adequação às inovações tecnológicas e mudanças de conjuntura político-sociais. O decreto também institui o Comitê Gestor do Programa para monitorar os resultados.

Leia Também:  Visitas presenciais em cadeias e penitenciárias serão retomadas a partir do dia 29

Mato Grosso criou também quatro categorias do Selo Carbono Neutro MT: compromissário, apoiador, carbono 0%, e financiador. O selo será uma certificação importante para as empresas que querem mostrar o seu compromisso com o meio ambiente. 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA