Mato Grosso

CGE reúne órgãos para implantação do Sigadoc

Publicados

em

image_pdfimage_print


Como medida do “Programa Simplifica MT”, estabelecido pelo governador Mauro Mendes no Decreto nº 512/2020, a Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) reuniu, nesta terça-feira (21/09), os secretários adjuntos sistêmicos do primeiro grupo de órgãos que implantarão o processo eletrônico por meio da utilização do Sistema Estadual de Produção e Gestão de Documentos Digitais (Sigadoc).

Nesta etapa do plano de implantação do Sigadoc, serão contemplados sete órgãos: Casa Civil, Planejamento e Gestão (Seplag), Meio Ambiente (Sema), Segurança Pública (Sesp), Ciência Tecnologia e Inovação (Seciteci), Desenvolvimento Econômico (Sedec) e Infraestrutura e Logística (Sinfra).

Na reunião, o secretário-adjunto de Auditoria e Controle da CGE-MT, José Alves Pereira Filho, esclareceu que a estratégia de implantação do Sigadoc será bem simplificada, sem a necessidade de mapeamento de processos, integração com outros sistemas informatizados e criação de documentos específicos dentro do sistema.

“Neste momento, o que se busca é apenas a transição do processo físico para o processo eletrônico. Temos a convicção de que é um processo simples e que a ferramenta traz excelentes resultados para a gestão, como segurança, transparência, economia e sustentabilidade ambiental”, pontuou.

Leia Também:  Governo lança programa Carbono Neutro MT nesta segunda-feira (25)

Neste mês de setembro, a CGE-MT passou a integrar a coordenação de implantação do Sigadoc em conjunto com a Seplag. A participação da Controladoria foi motivada pelo êxito do órgão no uso da ferramenta. Todas as áreas da CGE já estão integradas ao sistema oficial de documentos digitais.

Desde então, os auditores Aprígio Guilherme Miranda de Freitas e Paulo Farias Nazareth Netto, que representam a CGE na comissão coordenadora de implantação, têm explorado as funcionalidades do sistema e apresentado soluções para simplificar o uso do Sigadoc.

Dessa forma, na reunião desta terça-feira (21/09), foram apresentadas aos secretários-adjuntos diversas funcionalidades que tornam o sistema de fácil aplicação. Uma delas é a possibilidade de capturar documento de qualquer fonte e incorporá-lo ao Sigadoc com assinatura certificada no próprio sistema.

“É possível, por exemplo, capturar um termo de referência ou qualquer outro documento de uma aquisição, e os signatários (mais de um) assinarem de forma digital dentro do sistema”, exemplificou o auditor Aprígio Guilherme Miranda de Freitas, superintendente de Inteligência da CGE.

Leia Também:  Sábado (23): Mato Grosso registra 545.069 casos e 13.909 óbitos por Covid-19

Outras facilidades da ferramenta são a tramitação de documentos em lote, assinatura de diversos arquivos de uma única vez, numeração automática dos processos e montagem de processos de aquisição, de empenho e de pagamento, com possibilidade de vínculo entre eles ou de subprocesso.

O plano de implantação do Sigadoc envolve apoio de infraestrutura de tecnologia da informação, disponibilização de modelos de documentos comuns a todos os órgãos estaduais, edição de normativas com os procedimentos para utilização do Sigadoc e capacitação dos usuários.

Leia mais sobre o assunto:

CGE reforça coordenação de implantação do Sigadoc nos órgãos estaduais

CGE passa a tramitar processos de Corregedoria somente pelo Sigadoc

CGE passa a receber processos e documentos somente pelo Sigadoc

CGE é o primeiro órgão a implantar produtos de auditoria e controle no Sigadoc

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

“Setor de base florestal apoia plenamente o programa Carbono Neutro MT “, afirma presidente do Cipem

Publicados

em

Por

image_pdfimage_print


O presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), Rafael Masson, afirma que o setor apoia a iniciativa do Estado de implementação do Programa Carbono Neutro MT, lançado nesta segunda-feira (25.10). A meta voluntária do Estado é neutralizar os gases do efeito estufa até 2035.

“O Estado está levando mais uma bandeira muito forte para o mundo e para o Brasil, e o setor apoia plenamente o programa. Somos da base florestal, com muito orgulho, temos mais de 4,7 milhões de hectares em manejo sustentável no estado”, disse Masson durante a cerimônia de lançamento.

Com o fortalecimento das metas ambientais do Programa Carbono Neutro MT, a projeção é alcançar 6 milhões de hectares de manejo susntentável até 2030. O manejo sustentável é a estração de ativos da floresta com o menor impacto anbiental, preservando a mata em pé. 

O Cipem foi uma das instituições que aderiram ao programa como apoiadores, e que farão campanhas para disseminar as metas e os resultados. Também assinaram a Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT), a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), a Associação dos Produtores de Soja  (Aprosoja-MT),  Associação Matogrossense dos Produtores de Algodão (AMPA), Instituto Mato-Grossense da Carne (Imac), União Nacional do Etanol de Milho (UNEM),  e Ação Verde.

Leia Também:  Sábado (23): Mato Grosso registra 545.069 casos e 13.909 óbitos por Covid-19

O Cipem é a união de oito sindicatos patronais de Base Florestal, que tem o objetivo de organizar e fortalecer o setor. Incentiva a produtividade e o consumo consciente de madeira e seus subprodutos de forma sustentável, com respeito a legislação vigente e em harmonia com o meio ambiente.

Carbono Neutro MT

O Programa Carbono Neutro MT foi instituído pelo decreto 1.160/2021, com o objetivo de fortalecer 12 ações que contribuem para o desenvolvimento sustentável, gerando o equilíbrio entre as emissões e remoções de gases do efeito estufa.

As medidas elencadas como importantes para a descarbonização de MT são:  a manutenção do ativo florestal do estado, manejo florestal sustentável, regularização fundiária, melhorias na gestão de áreas protegidas, reflorestamentos comerciais, restauração de florestas, redução do risco de incêndios, manejo sustentável para a produção agropecuária, proteção de vegetação secundária em áreas de desmatamento legal, recuperação de pastagens, integração lavoura-pecuária-floresta, e produção e consumo de biocombustíveis.

As ações serão ajustadas e revisadas constantemente para adequação às inovações tecnológicas e mudanças de conjuntura político-sociais. O decreto também institui o Comitê Gestor do Programa para monitorar os resultados.

Leia Também:  Mais de 500 pessoas são abordadas em ação educativa em bares de Rondonópolis e Primavera do Leste

Mato Grosso criou também quatro categorias do Selo Carbono Neutro MT: compromissário, apoiador, carbono 0%, e financiador. O selo será uma certificação importante para as empresas que querem mostrar o seu compromisso com o meio ambiente. 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA