Mato Grosso

Obras da 1ª ferrovia estadual devem começar no segundo semestre de 2022

Publicados

em

image_pdfimage_print

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), disse em entrevista à Centro América FM, nesta segunda-feira (20), que a empresa responsável pela implantação da primeira ferrovia estadual já protocolou o pedido de licença ambiental e aguarda o período de análise, que pode levar até seis meses. Segundo o governador, a previsão é que as obras sejam iniciadas no segundo semestre de 2022.

O contrato de adesão junto à Rumo Logística S/A para a construção, implantação e exploração de 730 km da ferrovia, foi assinado nesta segunda-feira.

Mauro Mendes explicou que, além do período de licença ambiental, a empresa passa por outras avaliações até estar apta para começar as construções.

“É uma empresa que tem estudado esse trecho há muito tempo. Já existia um interesse em que pudesse sair esse tipo de autorização para fazer essas obras. Estima-se um prazo de cinco a seis meses para processar a análise, fazer audiências públicas e, assim que emitida a licença para instalação, a empresa já poderá começar as obras”, explicou.

Leia Também:  Mais de 200 mil tartarugas já foram soltas no Araguaia pelo projeto "Amigos da Natureza"

Segundo o governador, terminado a licença, a empresa tem um período para mobilização, que é a construção de canteiros e outras obras. “A empresa trabalha com a expectativa de que no segundo semestre do ano que vem teremos obras acontecendo”, disse.

A ferrovia vai interligar os municípios de Rondonópolis a Cuiabá, além de Rondonópolis com Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, conectando-se à malha ferroviária nacional, em direção ao Porto de Santos (SP).

Mendes disse que a ferrovia deverá chegar a Cuiabá em 2025. Já para chegar em Lucas do Rio Verde, que é o último trecho, estima-se um prazo sete anos.

“Mas, nesse período, outros trechos já estarão em funcionamento, como o trecho entre Campo Verde e Primavera do Leste, que estima-se um prazo de cerca de dois anos”, contou.

A proposta apresentada pela empresa, segundo o governo, prevê investimento de R$ 11,2 bilhões para a implantação da ferrovia estadual.

O estado avalia que, com a implantação da ferrovia, Mato Grosso se tornará mais competitivo, com maior capacidade de escoamento dos produtos do agronegócio, e redução dos custos do frete e do transporte. Pelo menos 27 municípios do estado, que estão próximos do traçado da linha férrea, devem ser beneficiados diretamente com a ferrovia.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mato Grosso

SES repassa R$ 44,2 milhões a sete municípios via recurso do FEEF

Publicados

em

Por

image_pdfimage_print


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) transferiu o total de R$ 44,2 milhões a sete municípios de Mato Grosso. O valor é relativo ao Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal (FEEF) e deve ser destinado aos 11 hospitais filantrópicos contemplados pelo recurso.

As gestões municipais que receberam parte do valor foram: Cuiabá (R$ 30,4 milhões), Rondonópolis (R$ 9,4 milhões), Poconé (R$ 576 mil), Poxoréo (R$ 724 mil), Lucas do Rio Verde (R$ 1,5 milhão), Pontes e Lacerda (R$ 862 mil) e Vila Bela da Santíssima Trindade (R$ 561 mil).

Após a transferência dos valores via Fundos Municipais de Saúde, os municípios são responsáveis pelo direcionamento do recurso às instituições beneficiadas.

“Esse recurso faz a diferença nas gestões dos hospitais filantrópicos, que são essenciais para o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS). Por isso, é impreterível que esses repasses cheguem, o quanto antes, às unidades beneficiadas”, ponderou o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Foram contempladas as seguintes instituições: Hospital Geral (R$ 10,7 milhões), Hospital Santa Helena (R$ 8,3 milhões), Hospital de Câncer de Mato Grosso (R$ 8,3 milhões), Instituto Lions da Visão (R$ 2,9 milhões), Santa Casa de Rondonópolis (R$ 8,5 milhões), Casa de Saúde Paulo de Tarso (R$ 886 mil), Hospital Geral de Poconé (R$ 576 mil), Hospital e Maternidade São João Batista (R$ 724 mil), Hospital São Lucas do Rio Verde (R$ 1,5 milhão), Hospital Vale do Guaporé (R$ 862 mil) e Hospital Evangélico (R$ 561 mil).

Leia Também:  Fora de discussão sobre o Pantanal, produtores e entidades dizem que ALMT faltou com respeito
Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA