.

Mundo

Mãe denuncia a professora por abusar sexualmente do filho e o filho fica furioso com a mãe

Publicados

em

image_pdfimage_print

Um adolescente que estava fazendo sexo com sua professora disse aos policiais que está furioso com sua própria mãe por expor o relacionamento ilícito.

Sua professora agora enfrenta sérias acusações depois de admitir que fez sexo com o jovem de 17 anos em sua casa em Wisconsin.

O Registro do Portage relata que o agora ex-professor do Colégio Portage foi acusado de duas acusações de agressão sexual de um aluno por funcionários da escola.

A polícia disse ao jornal que ela admitiu ter feito sexo com o menino duas vezes, de acordo com uma denúncia criminal.

A polícia de Portage disse em um comunicado que Abby Dibbs, 35, de Cross Plains, foi presa por agressão sexual a uma criança na quarta-feira, depois que a administração do Distrito Escolar Comunitário de Portage contatou a polícia.

Ela já fez uma primeira aparição no tribunal, diz o jornal.

Dibbs compareceu ao Tribunal do Circuito do Condado de Columbia na sexta-feira diante do juiz W. Andrew Voigt, que estabeleceu uma fiança de $ 3.500 em dinheiro.

Ele também ordenou que ela não tivesse contato com o aluno na denúncia criminal ou que fosse às dependências do colégio.

Leia Também:  Fungo raro e agressivo ‘mutila’ pacientes de covid

O juiz determinou ainda que ela não pode ter contato não supervisionado com crianças menores de 18 anos, com exceção de seu próprio filho e das sobrinhas de seus sobrinhos, mas esses também devem ser supervisionados.

De acordo com a denúncia criminal, um detetive da polícia de Portage conversou com Dibbs no dia 26 de maio sobre seu relacionamento com um estudante de 17 anos do ensino médio.

O jornal relata que Dibbs aparentemente admitiu que a estudante foi a sua casa na sexta e no sábado no fim de semana anterior, e eles fizeram sexo duas vezes. Ela também disse que eles discutiram como se sentiam um pelo outro e como havia limites que eles não podiam cruzar, mas então decidiram cruzar esses limites.

O detetive também falou com o estudante, que disse ter tido relações sexuais com Dibbs duas vezes no fim de semana, uma no quarto e outra na sala.

O adolescente então disse aos policiais que na verdade estava apaixonado por Dibbs.

Ele também revelou que está chateado com a pessoa que “delatou” junto com sua própria mãe, que disse aos policiais que a pessoa fez a coisa certa, revelando que o relacionamento não era apropriado.

Leia Também:  Taubaté 2.0? Gravidez de 10 bebês pode ser farsa, diz site

Uma conferência pré-teste está agendada para 26 de julho.

O distrito escolar de Portage divulgou um comunicado dizendo que estava trabalhando com a polícia.

“Este professor não é mais funcionário do Distrito Escolar Comunitário de Portage e não voltará para a sala de aula. Ao saber deste assunto, o Distrito respondeu imediatamente e contatou as autoridades”, disse o comunicado.

“O distrito não fará mais comentários para garantir que não haja interrupção da investigação pela aplicação da lei e para proteger a privacidade dos outros envolvidos.”

“Estamos confiantes de que a escola de segundo grau e todos os edifícios do distrito estão seguros e protegidos para todos os alunos e funcionários. Agradecemos os esforços de nossa aplicação da lei em resolver este assunto.

“Os funcionários distritais continuarão monitorando nossas escolas para garantir um ambiente seguro.”

O site da Portage High School afirma que ela era professora de inglês no distrito, relata o jornal.

Fonte: Daily Star

 

 

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Taubaté 2.0? Gravidez de 10 bebês pode ser farsa, diz site

Nascimento de sete meninos e três meninas de uma única gravidez seria recorde mundial caso confirmado; pai das crianças diz não acreditar no nascimento delas.

Publicados

em

image_pdfimage_print

A mulher que supostamente deu à luz 10 crianças de uma única vez na África do Sul está desaparecida e o homem que seria o pai dos bebês diz não acreditar mais que a namorada, Gosiame Thamara Sithole, teve os filhos, reporta o tabloide britânico Daily Star.

Fotos da mulher grávida rodaram o mundo no início de junho, quando foi relatado que ela teria dado à luz a sete meninos e três meninas, em Pretória, África do Sul. As crianças teriam nascido por meio de uma cesárea, com 29 semanas de gestação, e somariam um recorde mundial.

Nesta terça-feira (15/6), o pai das crianças, Tebogo Tsotetsi, emitiu um comunicado em que pediu desculpas por qualquer “inconveniência e constrangimento” e disse que sua família “concluiu que não há décuplos”.

A conclusão teria sido chegada depois que ele tentou, por diversas vezes, entrar em contato com ela e com os bebês, mas sem ter sucesso.

Quando as crianças supostamente nasceram, o hospital não confirmou a informação e o diretor-geral de comunicação do governo sul-africano, Phumla Williams, disse que não conseguiu contato com a família.

Leia Também:  Fungo raro e agressivo ‘mutila’ pacientes de covid

Guinness World Records ainda investiga o caso. Atualmente, o recorde de mais bebês nascidos de uma mesma gestação é de uma norte-americana, que, em 2009, teve oito crianças.

E há mais polêmica envolvendo o caso. No início da semana, Sibongile Gxekwa disse que Teboho é, na verdade, seu marido e que ele a traiu com a mãe dos supostos dez bebês. “Quando ele começou suas escapadelas de sair à noite, eu o confrontei sobre a traição. Na época, eu não sabia quem ela era. Ele não me disse nada sobre seus novos dez filhos. Ele me ordenou que não falasse com a mídia sobre o assunto”, disse ela ao News24.

Fonte: Correio Brasiliense

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA