.

Política MT

CPI DOS MEDICAMENTOS: Servidores e empresas são alvos da Operação Overpriced

Publicados

em

image_pdfimage_print

A Operação Overpriced, realizada pela Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor), e o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), cumpre medidas cautelares contra servidores e empresas investigadas em compra de medicamentos em Cuiabá.

Após a deflagração da primeira fase, realizada em outubro do ano passado, e com base nas novas provas coletadas e em auditorias do Ministério da Saúde, por meio da Seção de Auditoria de Mato Grosso, a equipe da Deccor identificou diversas irregularidades em procedimentos licitatórios envolvendo, ao menos, três empresas que forneceram medicamentos à Secretaria Municipal de Saúde, por meio de dispensa de licitação, durante o período da pandemia ocasionada pela covid-19.

Foram detectadas irregularidades procedimentais com direcionamento para favorecer as empresas contratadas. Além disso, verificou-se que houve uma coordenação de aquisições baseadas na superestimação de consumo de medicamentos, muito além da necessidade de consumo em 180 dias, com o possível vencimento dos medicamentos.

Além de compras em excesso, os investigadores verificaram o sobrepreço de medicamentos e a compra de fármacos por meio de dispensa, sob a justificativa de enfrentamento à covid-19, que, no entanto, não são utilizados para o tratamento relacionado ao coronavírus.

Leia Também:  Após Cidinho, Elizeu articula e PSL mira diretor do MT GÁS, Toco Palma

A decisão decretada pela juíza da 7ª Vara Criminal da Capital, Ana Cristina Silva Mendes, determinou o bloqueio de valores no valor de R$ 2.175.219,77. Após a representação dos delegados da Deccor e promotores de Justiça, o Poder Judiciário determinou que os quatro servidores investigados à época dos fatos, possivelmente envolvidos com a organização criminosa, cumpram medidas cautelares, entre elas a proibição de acesso à Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá e proibição de contato entre os investigados e os servidores dos quadros do órgão de saúde da Capital.

Com a deflagração da operação, a Deccor procederá com o interrogatório dos suspeitos que ainda não foram ouvidos, para finalização e envio do inquérito policial ao Poder Judiciário, uma vez que todas as provas técnicas já foram produzidas em conjunto com o Ministério da Saúde.

 

Com Assessoria.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Após Cidinho, Elizeu articula e PSL mira diretor do MT GÁS, Toco Palma

Publicados

em

image_pdfimage_print

Deputado Elizeu Nascimento (PSL) convidou o diretor administrativo e financeiro do MT GÁS Toco Palma a se filiar ao partido.

Palma é advogado e vem se destacando na instituição, e desenvolvendo um trabalho excelente no órgão e, é uma boa referência no meio político. Além disso, ele é conhecido por ter bom trânsito e experiência que lhe sobram. Tudo isso deriva do fato de ter nas veias o DNA do seu pai, considerado um dos prefeitos mais ativos de Cuiabá, Rodrigues Palma, que, além de prefeito foi também deputado federal e estadual por vários mandatos.

Toco Palma havia recebido do também novato no PSL, Cidinho Santos o mesmo convite, referendado por Elizeu. Com esses convites, dificilmente Toco não ingressa no Partido Social Liberal.

 

Jornalista: Neto Marques

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Após Cidinho, Elizeu articula e PSL mira diretor do MT GÁS, Toco Palma
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA