.

Política MT

MPE pede cassação de deputado de MT e devolução de mais de R$ 80 milhões

Publicados

em

image_pdfimage_print

O deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM), o  ex-governador Silval Barbosa e mais 17 pessoas são investigados da operação Rota Final, pelo coordenador do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco Criminal), procurador de Justiça, Domingos Sávio de Barros Arruda, pede cassação do mandato do parlamentar.

A ação ajuizada da tarde da última terça-feira (20) ainda pede a reparação dos danos causados pela infração no montante de R$ 86,6 milhões do envolvidos pelos crimes de organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, impedimento e perturbação à licitação, afastamento de licitantes e crime contra a economia popular.

O esquema criminoso foi revelado no curso de um Inquérito Policial que reuniu cinquenta e quatro volumes de elementos de prova e que foi presidido pelos Delegados de Polícia do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), Marcelo Torhacs e Márcio Veras.

As investigações demonstraram a existência de uma Organização Criminosa, liderada pelo empresário Éder Augusto Pinheiro que, inclusive, teve sua prisão preventiva decretada e se encontra foragido há mais de dois meses.

Leia Também:  Deputado quer Escolas Militares em duas cidades do interior de MT

Segundo a peça acusatória protocolada no Tribunal de Justiça, o grêmio criminoso tinha como principal objetivo impedir a implantação do novo Sistema de Transporte Coletivo Rodoviário Intermunicipal de Passageiros do Estado de Mato Grosso – STCRIP/MT e, para tanto, os integrantes da agremiação lançaram mão dos mais variados meios criminosos para inviabilizar a Concorrência Pública nº 01/2017 deflagrada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra).

Sem a realização do certame licitatório as empresas ligadas aos envolvidos prosseguiriam a explorar, em caráter precário, inúmeras linhas de transporte intermunicipal, mantendo, dessa forma, o domínio econômico do setor, conforma vinha ocorrendo há várias décadas e garantindo lucros exorbitantes em detrimento da adequada prestação do serviço.

 

Da Redação

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política MT

Governo deixou Sputnik V em ‘stand by’ afirma Gilberto com avanço de vacinação em MT

Publicados

em

Gilberto Figueiredo
image_pdfimage_print

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, afirmou que com o avanço da vacinação e possibilidade de doses para todos, o governo de Mato Grosso deixou a compra da Sputnik em ‘stand by’.

“Não logramos êxito na aquisição, pois é uma vacina que ainda não tem a garantia da Anvisa. Imputou aos estados um nível de responsabilidade muito grande. Agora, com o indicativo do governo federal que teremos vacina para toda a população, a gente coloca em stand by essa iniciativa, aguardando os próximos desdobramentos”, disse Gilberto.

No mês de março, o governador Mauro Mendes (DEM) fez um anuncio afirmando que a assinatura de contrato para compra de 1,2 milhão de doses da vacina Sputnik V, que viriam direto para Mato Grosso caso o Governo Federal não pagasse ou reembolsasse o Estado.

A expectativa era de que a primeira remessa chegasse já no dia 20 de abril. O governador chegou a dizer que com as 1,2 milhão de doses seria possível imunizar todos os mato-grossenses com mais de 30 anos de idade.

Leia Também:  MP deve acionar vice-governador para ouvir sobre agressões a esposa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no entanto, não autorizou a importação do imunizante, e deu somente o aval para que viessem ao estado 71 mil doses (1% da população), e com uma série de restrições em relação a quem poderia recebê-las

Da Redação

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA