.

Saúde

‘Não tenho medo de doença alguma’, diz José Serra sobre diagnóstico de Parkinson

Publicados

em

image_pdfimage_print


source
O senador e ex-ministro José Serra
Beto Barata/PR

O senador e ex-ministro José Serra

Em 10 de agosto, o senador José Serra (PSDB-SP), aos 79 anos, pediu licença médica do cargo para tratar o Parkinson, doença que acomete mais de 250 mil brasileiros. Uma nota oficial, divulgada em suas redes sociais, afirmou: “Após avaliações neurológicas, finalizadas na última semana, Serra foi diagnosticado com doença de Parkinson em estágio inicial, o que requer um período de adaptação à medicação, que também vai tratar do seu distúrbio do sono. O parlamentar encontra-se em bom estado de saúde, mas optou pelo afastamento para que seu suplente, José Aníbal, possa assumir, sem deixar a cadeira de senador por São Paulo em vacância durante o período do tratamento experimental.”

Desde então, Serra tem dedicado o máximo de tempo possível aos tratamentos, que incluem medicação, exercícios e fisioterapia. Na última terça-feira, 14, à tarde, recebeu a reportagem do Globo em sua casa em São Paulo, para falar pela primeira vez de sua condição. Vestia roupa de ginástica e durante a conversa exibiu diversas vezes as mãos para mostrar como os tremores haviam reduzido.

Como o senhor descobriu o Parkinson?

Vi minha mão tremer, ela começou a tremer parada. O dedão principalmente. Percebi na hora. Não foi repentino, isso aconteceu aos poucos. Começou no início desse semestre. Procurei os médicos e eles confirmaram o diagnóstico.

Qual foi sua reação ao receber a confirmação do diagnóstico?

A primeira coisa que passou pela minha cabeça foi: vou me tratar. Fui ministro da Saúde e, por incrível que pareça, não entendo de medicina. Entendo como organizar ações em função da saúde. Mas sei muito bem que tem tratamento bom para o Parkinson quando diagnosticado no início.

Leia Também:  Chile reabre fronteiras para brasileiros; veja lista de exigências

O senhor se emocionou?

Não. Me emocionei com a morte do João Sayad. Ontem fui à missa de sétimo dia dele, a Igreja lotada. Ele era uma pessoa com muitos amigos, muito estimada.

Qual tratamento o senhor está usando?

Propola, um medicamento impressionantemente eficaz. Em pouco tempo fez um efeito extraordinário nos tremores. Pratico também exercícios, caminho todos os dias, e faço sessões de fisioterapia diárias. A fisioterapia e a caminhada, na verdade, já faço há muito tempo. Isso é para a vida, não necessariamente para uma doença. Para chegar bem aos 79 anos, a atividade física é fundamental.

Leia Também

O senhor teve Covid recentemente, chegou a sentir medo?

Não cheguei a ter sintomas da infecção. Mas mesmo se tivesse não teria tido medo. Quando eu era adolescente peguei gripe asiática. Quando morei no Chile, tive tifo. E no caso do tifo, 10% dos infectados têm recaída. Eu tive. Não tenho medo de doença alguma. Um dos ensinamentos interessantes que tive na vida veio de um médico. Quando eu estava com uns 5 anos de idade, tive que tirar as amídalas e naquela época era com alicate, um procedimento bruto. Ele me falou: tudo ficará ficar bem, você vai poder tomar sorvete à vontade depois. Ele tinha razão, tudo ficou bem.

Leia Também:  Brasil tem 731 mortes e 13.406 novos casos de covid-19 em 24h

O senhor pediu licença do Senado em agosto por causa do Parkinson. A ideia foi sua?

Foi dos médicos, mas tomada em conjunto comigo. Na hora fiquei um pouco chateado, mesmo concordando, porque sei que estou bem. Não teria tirado a licença se não tivesse que viajar, como o cargo demanda. Eles me sugeriram esse afastamento para eu poder me dedicar o máximo de tempo à minha saúde. Para tratar direito tem de haver tempo.

A sua rotina mudou?

Não vou para Brasília, mas o restante é absolutamente normal. Cuido da minha saúde, leio muito e tenho reuniões de trabalho com minha equipe. Hoje mesmo vou até meu escritório participar de uma delas. Escrevo artigos também. Prefiro o IPad. Há muito tempo não escrevo à mão porque ninguém entende a minha letra. Nem meu sono mudou. Ele continua difícil. Sou assim desde criança, com essa dificuldade. Quando eu deito eu penso: será que eu vou dormir?

O senhor pensa em voltar para a política?

Eu nunca saí da política. Eu só não estou no cargo agora nesse momento para cuidar da minha saúde. Aliás, não fosse o prazo protocolar de 4 meses das licenças eu já teria voltado. Penso no discurso que farei para compensar a minha ausência, marcar a minha posição, com perspectivas para o ano que vem.

O senhor vai se recandidatar ao Senado?

Não duvide disso.

Como o senhor se vê daqui alguns anos?

Militando. Vou militar sempre.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rio divulga calendário da vacinação de reforço para idosos com mais de 84 anos

Publicados

em

Por

image_pdfimage_print


source
Vacina contra Covid-19
Reprodução: iG Minas Gerais

Vacina contra Covid-19



A Secretaria municipal de Saúde do Rio (SMS-Rio) divulgou, neste sábado, o calendário das doses de reforço contra a Covid-19 para a próxima semana. A partir de segunda-feira, serão vacinadas, de forma escalonada por idade, pessoas de 89 a 84 anos ou mais. Nos dias 20 e 21, pacientes com alto grau de imunossupressão (redução da capacidade de resposta do sistema imunológico) com 60 anos ou mais e, a partir do dia 22, pacientes com 40 anos ou mais. Além disso, a partir de 29 de setembro, as doses de reforço serão para pacientes com mais de 12 anos.

O intervalo mínimo entre a aplicação da segunda dose ou dose única e a dose de reforço é de três meses para idosos e de 28 dias para pessoas com alto grau de imunossupressão. Apenas idosos que tomaram o esquema inicial (primeira e segunda doses) no município do Rio poderão tomar a dose de reforço na cidade.

Para pacientes com imunossupressão, a pessoa deverá comprovar alguma das condições especificadas pela secretaria (lista abaixo).

Leia Também:  Covid-19: municípios brasileiros têm diferença no número de óbitos de 1.777%

Veja as condições contempladas nesta fase da campanha:

  • Imunodeficiência primária grave
  • Quimioterapia para câncer
  • Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
  • Pessoas vivendo com HIV/Aids com CD4
  • Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias
  • Uso de drogas modificadoras da resposta imune
  • Pacientes em hemodiálise
  • Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, autoinflamatórias, intestinais)

A prefeitura vai retomar a aplicação da segunda dose da CoronaVac na próxima segunda-feira, dia 20. De acordo com o secretário de saúde, Daniel Soranz, o município recebeu, neste sábado, 216 mil doses em substituição ao l ote da vacina que está interditado pela Anvisa.


A aplicação da CoronaVac estava suspensa desde quinta-feira, dia 16, por falta de doses. A prefeitura esperava que o Ministério da Saúde liberasse a aplicação das doses do lote 202108113H da CoronaVac, interditado pela Anvisa por ter sido envasado em uma fábrica na China que não passou pela inspeção da agência. No total, 160 mil doses estão paradas no almoxarifado central da prefeitura e 45 mil nos postos de saúde aguardando liberação do ministério, sem previsão de prazo.

Leia Também:  Por que covid volta a ameaçar britânicos apesar de 65% de vacinados

Leia Também

“A CoronaVac chegou no depósito da prefeitura, e na segunda-feira começa a aplicação da segunda dose normalmente. Ainda não vai ter primeira dose. A gente tem 17 mil pessoas que não conseguiram tomar a segunda dose da CoronaVac e devem conseguir agora. A previsão é de aplicar essas 200 mil doses nas próximas duas semanas”, afirma ele.

No Twitter, Soranz comemorou que a fila para internação está zerada há três semanas e, segundo ele, há sobra de vagas. De acordo com o secretário, a explicação para isso é o aumento da cobertura vacinal nas últimas três semanas. Na manhã desta sexta-feira, o índice era de 60,8% da população adulta da cidade já com o esquema vacinal completo.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA