.
.

Variedades

‘Torre das Guerreiras’ traz trajetória de Ana Maria Ramos Estevão

Publicados

em

image_pdfimage_print

source
Livro tem prefácio feito por Dilma Rousseff
Reprodução 13.05.2022

Livro tem prefácio feito por Dilma Rousseff

Presa três vezes durante a ditadura militar brasileira (1964 – 1985) e exilada em Paris, Ana Maria Ramos Estevão contou sua história em um livro de memórias que chamou de “Torre das Guerreiras” (Ed. 106 memórias) uma referência à Torre das Donzelas, nome dado ao local onde as mulheres presas na ditadura eram levadas. 

E sobre o nome do livro Ana Maria fez uma observação muito interessante sobre como as histórias, em especial as infantis, nomeiam as cadeias: Homens presos em calabouços e mulheres sempre em Torres. Lembram da Rapunzel, Bela Adormecida? E durante a ditadura a realidade imitou os contos de fadas, pois de fato a cadeia feminina era uma Torre. 

Ana Maria relata tudo com muita coragem, pois absolutamente não deve ser fácil reviver toda a história, os momentos de terror e tortura que passou presa. Conta inclusive como viu e ouviu companheiros serem torturados para que delatassem outros. Narra também o quanto esse momento iniciado em 1970 com a primeira prisão reverberou muito tempo em sua vida: “O exacerbamento do meu instinto de sobrevivência e a mudez perante grande público são marcas deixadas pela tortura e que trago até hoje”, conta a autora.

Leia Também:  Samantha Schmütz pede perdão à Juliette: "comentário infeliz"

Na Torre das Guerreiras, Ana Maria ficou presa com a ex-presidenta Dilma Rousseff, que inclusive escreveu o prefácio, e em relato conta curiosidades sobre a personalidade de Dilma como seu tom de voz ser “invariavelmente professoral e de comando” e que era ela quem apelidava as mulheres. Além da ex-presidenta também estiveram Maria do Carmo Campelo (já falecida), Eliana Rollemberg, Guiomar Silva e tantas outras guerreiras. 

Livros assim, com memórias sobre torturas, cárceres sem chance de defesa, sempre fazem nos questionar sobre nossas escolhas, sobre o que aconteceria, ou onde estaríamos se tivéssemos feito outras escolhas, Ana Maria diz: “Tenho certeza que não faria outra escolha, mesmo vendo depois de tanto tempo tenho minha consciência em paz e a certeza de que aquele era o melhor caminho no contexto da época”. 

Embora  o período relatado no livro seja bastante sombrio e pouco debatido abertamente, os livros têm sido o melhor meio para que histórias como essa se perpetuem. E livros de memórias, que trazem tudo tão vívido e detalhado, se tornam ainda mais importantes. Nunca será fácil, imagino, falar ou relembrar momentos como esses, mas é de extrema importância essa coragem de expor e falar sobre uma parte da nossa história que muitos ou tentam abafar ou até enaltecer. 

Leia Também:  Andreia Andrade reclama e diz que "tudo é motivo para polêmica"

Para pautas e sugestões:  [email protected]

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Variedades

Caio Cabral fala de novela da Globo e continuação de série da Netflix

Publicados

em

Por

image_pdfimage_print

source
Caio Cabral
Reprodução/Instagram

Caio Cabral


Caio Cabral é uma das estrelas do filme “De Volta Aos 15”, sucesso no Brasil e no exterior. O projeto, inclusive, já tem a segunda temporada confirmada. 

Na trama, Camila Queiroz interpreta Anita, que, com 30 anos, se vê insatisfeita com o rumo da vida adulta. No decorrer do casamento da irmã mais velha, ela descobre a possibilidade de voltar à época em que tinha 15 anos, que, nesse caso, fica sob a responsabilidade de Maisa.

Mas, enquanto os novos episódios não saem do papel, Caio pode ser visto no  longa “Confissões de Uma Adolescente Excluída”, baseado na obra de Thalita Rebouças, que também se encontra disponível na gigante do streaming.

Caio Cabral e Klara Castanho em 'Confissões de Uma Adolescente Excluída'
Reprodução/Instagram

Caio Cabral e Klara Castanho em ‘Confissões de Uma Adolescente Excluída’


Para quem não sabe, o carioca de 22 anos começou a estudar teatro ainda criança, no colégio, e seguiu para o Tablado. Nesse período, deu os primeiros passos como modelo, participando de editoriais de revistas especializadas em moda e em curtas-metragens.

Mas foi em 2019 que veio a sua atuação inicial de destaque: a novela “Bom Sucesso”, da Globo, como o jogador de basquete Patrick. Em seguida, ele passou um tempo em Londres, onde fez alguns saraus de poesia de autores brasileiros, em pubs locais.

Ah, e para abordar esses e outros temas, Caio topou responder a 10 perguntas do iG Gente. Confira os melhores momentos na íntegra!

Camila Queiroz, Breno Ferreira, Caio Cabral e Maísa Silva após gravação em Paris, na França
Reprodução/Instagram

Camila Queiroz, Breno Ferreira, Caio Cabral e Maísa Silva após gravação em Paris, na França

Leia Também:  Noiva de Jottapê participa de reality show idealizado por Thales Magno

1. Caio, como é estar em um projeto que já foi lançado cheio de expectativa por parte dos fãs? Aliás, você leu o livro ou teve alguma troca com a autora Bruna Vieira?

Foi desafiador, porque sabíamos que tinha que ficar tão interessante quanto a obra literária, ainda mais para mim, que já havia lido “De Volta Aos 15” bem antes de pensar em fazer a série. Trocamos muito com a Bruna Vieira, o que me ajudou bastante no processo de encenação. 

2. O seriado já tem uma nova temporada confirmada. Você já sabe o que se pode esperar dessa segunda fase?

Ele foi bem recebido aqui e em outros países. Ficamos mais de duas semanas entre os dez mais vistos no ‘Top 10’ global da Netflix. O público vem dando várias opiniões nas redes sociais sobre o destino dos personagens, mas, com certeza, vamos fazer novamente um trabalho incrível.

Caio Cabral e Maisa Silva em 'De Volta Aos 15'
Reprodução/Instagram

Caio Cabral e Maisa Silva em ‘De Volta Aos 15’


3. Você pensa em tentar carreira internacional?

Penso muito, até porque atualmente tudo é globalizado. Por isso, planejo fazer um aprofundamento no inglês, por ser uma língua falada pelo mundo todo, e acho importante que tenha o mínimo de sotaque. Quero aprender espanhol também. 

Leia Também:  Samantha Schmütz pede perdão à Juliette: "comentário infeliz"

4. Como é ser um ator negro de apenas 22 anos que se tornou um dos protagonistas de uma série de sucesso do streaming mundial? Aliás, como analisa as oportunidades para atores como você neste momento?

De modo gradual, o audiovisual brasileiro está se abrindo para a presença de intérpretes negros, mas ainda é muito tênue esse aumento. Papéis mais relevantes e com protagonismo também são poucos, infelizmente.

Caio Cabral
Reprodução/Instagram

Caio Cabral


5. Você fez a novela “Bom Sucesso”. Dá para descrever a sensação?   

Foi a minha primeira incursão na televisão e uma experiência incrível. O  Patrick tinha uma participação pequena, mas constante na trama.  Uma estreia maravilhosa!

6. Você é crítico e se assiste?

Sou extremamente quanto à minha interpretação. Procuro rever cenas e ouvir opiniões inteligentes também.

7. Que conselho se daria se pudesse voltar aos 15 anos?

Diria: “Caio, comece a se preparar, tenha foco e disciplina”. 

Caio Cabral
Reprodução/Instagram

Caio Cabral

8. E como se vê daqui a 15 anos?

Eu me vejo mais preparado e vivendo do meu ofício, que é atuar.

9. Como é o Caio, pai da Manuela?

Ser pai me deu a dimensão do que é amor incondicional.

10. E depois de “De Volta Aos 15”, onde mais o veremos em breve?

Tem uma série da qual, por enquanto, ainda não posso falar ou dar detalhes, mas estou animado com ela. 


Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA