.

Voz Pet

Começa vacinação antirrábica de cães e gatos; Veja onde vacinar seu pet

Publicados

em

image_pdfimage_print

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ), disponibiliza a vacina antirrábica para cães e gatos da Capital. A estratégia de imunização foi reestruturada por conta da pandemia de covid-19, ou seja, para evitar aglomerações nas escolas, onde geralmente ocorriam as campanhas, neste ano, a vacinação vai ocorrer de forma fixa e permanente na sede da Unidade de Vigilância em Zoonoses, que fica localizada na Avenida Mário Palma, s/n, bairro Ribeirão do Lipa, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 13h30 às 16h30. Não é preciso fazer agendamento prévio para levar o animal.

Devem ser vacinados cães e gatos a partir de 4 meses de vida, animais prenhes e que estejam amamentando. A vacina não tem contraindicação. É aplicado 1 ml via subcutâneo independentemente do porte, idade ou espécie do pet.

Conforme preconizado pelo Ministério da Saúde, a população de cães pode variar entre 10% e 20% em relação à população humana de cada município e a população de animais a serem vacinados pode ser determinada por estimativa populacional ou pela realização do Censo Animal. Dessa forma, a meta é vacinar mais de 61,2 mil cães e 13,6 mil gatos.

A raiva é uma doença transmitida ao humano pelo contato com o vírus rábico, através da saliva do animal infectado, sendo cães e gatos os principais responsáveis pela cadeia de transmissão na área urbana. Os morcegos também representam um sério problema na saúde pública, pois mantêm em circulação o vírus rábico, sendo sua presença diretamente influenciada por intervenções ou modificações ambientais feitas pelo próprio homem.

Entre os anos de 2007 e 2019, foram registrados quatro casos de raiva animal em Cuiabá, sendo um em 2007, em um cão; em 2008 em um morcego e dois em 2016, um cão e um morcego.

 

Com Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Voz Pet

Frio intenso causa sofrimento e pode matar animais em situação de rua

Publicados

em

Frio intenso prejudica cães
image_pdfimage_print

A onda de frio extremo que chegou ao Brasil, reflexo das mudanças climáticas, pode causar mortes não só de pessoas, mas também de animais, especialmente daqueles que vivem em situação de rua e não têm meios de se esquentar.

As previsões do tempo apontam para a possibilidade da sensação térmica na Região Sul chegar a -25°C. Na madrugada da última quarta-feira (28), houve a ocorrência de neve e de chuva congelada na divisa entre o estado do Rio Grande do Sul com o Uruguai. Em Santa Catarina, os termômetros marcaram -7,8°C durante o amanhecer no município de Bom Jardim da Serra

E embora as temperaturas mais baixas estejam sendo registradas no Sul do Brasil, há registros de frio intenso em várias regiões do país. Em Araraquara, no interior de São Paulo, há previsão da Somar Metereologia para a chegada de uma frente fria que pode levar à sensação térmica negativa até o final de semana, com possibilidade dos termômetros marcarem 3°C na sexta-feira (30), com sensação térmica de -2°C. Há também previsões de geada para vários municípios do estado paulista.

Enquanto ações são realizadas pelo poder público para acolher pessoas em situação de rua, pouco é feito em prol dos animais abandonados, que dependem da solidariedade da população. Em muitas cidades, as prefeituras sequer têm políticas públicas voltadas à causa animal.

Em Araraquara, o protocolo de recolhimento de animais abandonados estabelecido pela administração municipal não inclui animais saudáveis. Isso porque, segundo a prefeitura, não há locais suficientes para abrigar toda a população de cães e gatos em situação de rua.

Em entrevista ao portal A Cidade ON, a coordenadora de Bem-Estar Animal, Carol Mattos Galvão, fez um apelo à população de Araraquara para que cada morador ajude a proteger do frio animais que vivem no entorno de sua residência.

“O ideal é sensibilizar a população de forma geral para que as pessoas coloquem uma casinha na frente da casa, uma cobertinha, doem uma roupinha para o animal de rua, coloquem uma caixa de papelão ou acolham, colocando na garagem”, pontuou.

Dentre as ações que podem ser realizadas pelos moradores, está ainda o oferecimento de ração e água para os animais. Isso porque, além de amenizar a fome e a sede, os moradores que tomarem essa atitude ajudarão os animais a manterem o próprio organismo mais saudável e resistente para combater os problemas de saúde decorrentes do frio, já que em dias de baixa temperatura o gasto calórico para manter o corpo funcionando em boas condições é maior do que no calor.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

Beth`s Grill Restaurante

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA