Slide Heading
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.
Click Here

Voz Pet

Voz Pet: A parvovirose pode matar cães filhotes ou adultos

Publicados

em

A parvovirose, especialmente em filhotes, é uma doença gastrointestinal extremamente contagiosa e potencialmente fatal. Nessa idade, os animais são mais susceptíveis, pois ainda não foram vacinados ou estão em processo de vacinação.

Acredita-se que a doença foi originada a partir de um vírus semelhante ao que infecta gatos e alguns animais selvagens (como guaxinins e martas), mas que sofreram mutações. Os primeiros casos de parvovirose  em filhotes de cães foram diagnosticados no final da década de 1970.

Filhotes com idade de 6 semanas a 6 meses são os mais susceptíveis, assim como cães de qualquer idade que não foram vacinados ou com vacinas atrasadas, segundo a veterinária Kelly D. Mitchell do Hospital Veterinário em Toronto, Canadá e autora do capítulo de parvovirose canina no Manual Merck de Veterinária. No livro, também cita algumas raças predisponentes, incluindo:

  • Rottweilers
  • Doberman pinschers
  • American pit bull terriers
  • Springer Spaniels Inglês
  • Pastor Alemão

Vale lembrar que filhotes abaixo de seis semanas geralmente estão protegidos de parvovirose por anticorpos no leite materno.

Quais são os sinais clínicos mais comuns da parvovirose?

Caso seu pet esteja com parvovirose, os sinais começam a aparecer geralmente de 3 a 10 dias após a exposição ao parvovírus canino Os sinais clínicos mais comuns são:

  • Letargia severa
  • Vômitos
  • Diarreia (geralmente com sangue)
  • Febre
Leia Também:  Voz Pet: 14 cães são mortos por envenenamento

Os animais ficam extremamente desidratados em consequência da doença. O vírus também pode danificar as paredes intestinais do cão, causando danos e risco à vida, como a queda das células de defesa do corpo – os leucócitos e sepse. Caso suspeite que seu pet está com parvovirose, é importante levá-lo imediatamente ao veterinário. O tempo é um dos fatores principais para a sobrevivência.

Como o cão pode contrair a parvovirose?

O parvovírus é altamente contagioso e pode ser transmitido por via oral, geralmente através do contato com fezes ou solo infectado. Também é muito resistente e pode sobreviver durante 2 meses ou mais em ambientes fechados ou no solo. Além de resistir a situações como calor, frio, umidade e ambientes secos.

“Mesmo vestígios de fezes de um cão contaminado podem abrigar o vírus e é capaz de infectar outros animais que vão a um ambiente infectado. O vírus é facilmente transmitido de um lugar ao outros, através de pelos e patas dos pets ou ainda gaiolas contaminadas, sapatos e outros objetos”, alerta a Associação Americana de Medicina Veterinária (site em inglês).

A parvovirose sobrevive nas fezes de cães que tiveram a doença por várias semanas. Devido a força e gravidade desta enfermidade, é importante descontaminar todas as áreas que possam ter sido expostas ao vírus e garantir que o animal que teve parvovirose seja isolado de filhotes ou cães não vacinados. Converse com seu veterinário sobre todos os cuidados que você deve tomar se seu pet tiver sido exposto.

Leia Também:  Cachorra desaparece e dono oferece recompensa

Como a parvovirose é tratada?

Cães que tiveram parvovirose geralmente são internados em hospitais veterinários para tratamento, que inclui fluidos intravenosos, medicamentos para evitar náusea e antibióticos. Após essa fase, seu veterinário provavelmente prescreverá antibióticos via oral para ajudar o animal debilitado a combater infecções secundárias.

Como citado acima, é crucial procurar tratamento veterinário o mais rápido possível. A Dra Mitchell reforça que, com os cuidados adequados e precocemente, 68 a 92% do cães com parvovirose sobreviverão e que os filhotes que passam pelos primeiros três a quatro dias da doença tendem a se recuperar completamente. Ou seja: a parvovirose canina tem cura, principalmente se detectada cedo.

Como prevenir a parvovirose canina?

Filhotes devem ser vacinados assim que completarem a idade correta. Com os cães que ainda não foram vacinados, os tutores devem ter extremo cuidado ao levá-los em locais onde a exposição ao vírus seja mais provável, como em parques para pets. É recomendado que até a vacinação completa o animal não tenha acesso a rua.

Se seu pet foi exposto, isole-o até seu veterinário informar que a ameaça de contágio acabou. Informe seus vizinhos também.

Com Hills Pet.
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Voz Pet

Voz Pet: 14 cães são mortos por envenenamento

Publicados

em

Alguns dos 14 que morreram

Um envenenamento coletivo matou 14 cães de uma mesma rua nesta madrugada de segunda-feira (30). A polícia encontrou um tipo de veneno embalado em um saco plástico que levaram os animais a óbito.

O veneno foi jogado dentro dos pátios das casas e o restante foi dado a alguns cães de rua que viviam na região. Desses 14, cinco eram de apenas uma moradora.

O envenenamento coletivo que ocorreu em Poá, São Paulo, revoltou os moradores, que embora não tenham provas, suspeitam de quem tenha praticado o crime. A polícia investiga o caso e que tipo de veneno foi utilizado para cometer o crime.

 

Jornalista: Fabiane Serra

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Cachorra desaparece e dono oferece recompensa
Continue lendo

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

VÍDEO INSTITUCIONAL

POLÍTICA MT

POLICIAL

MATO GROSSO

MUNICÍPIOS

MAIS LIDAS DA SEMANA